Primeiro, você sente muito. Depois, você sente falta. Quando percebe, você sente mais nada.
Tati Bernardi    (via romanteios)


Cuidado com quem você chama de “amiga”



Sobre asks, é grátis. Me mande uma



E ai,rola ou enrola?

Capítulo 111.

POV. Lua

Acordei com o despertador,inspirei inalando um cheiro gostoso e me movi para desligá-lo e senti braços em volta da minha cintura,abri meus olhos e vi que eu e Arthur dormimos abraçados. Hãn? O que aconteceu? Não faço a mínima ideia,só sei que adorei.Desliguei o despertador e voltei a me aconchegar no mesmo lugar que antes estava,nos braços dele.Fechei os olhos e respirei fundo.

-Lua?Já estamos atrasados,levanta! — Ouvi uma voz rouca e continuei de olhos fechados. - Hein coisa linda? — Beijou meu nariz. Own. - Quero que um dia você me perdoe. — Beijou levemente meus lábios. JÁ PERDOEI,JÁ PERDOEI,mentira. Senti seu corpo se afastar do meu e suspirei.

Continuei na cama,e me vi sendo chamada de novo por Arthur,tinha cochilado na cama.

-Lua,é sério,acorda. — Falou. Abri os olhos e me sentei,ele já estava vestido e colocava o sapato. Do nada,me deu uma dor de cabeça.

-Ai. — Resmunguei e coloquei minha mão na testa.

-Que foi? — Perguntou olhando-me.

-Deu uma dor de cabeça. — Me deitei de novo. - Só quero minha cama hoje. — Resmunguei e ele se aproximou.

-Vai faltar?

-Melhor não. — Respirei fundo entristecida.

-Ok. — Respondeu. - Já vou indo,vou levar as crianças nas escolas.

-Já acordaram?

-Já estão prontas me esperando. — Assenti.

( … )

-Bom dia! — Bianca disse sorridente.

-Bom dia,Bianca! — Dei um leve sorriso e continuei a andar,até meu consultório.

-Doutora Blanco! — Ouvi chamar-me e me virei.

-Bom dia,Doutor Paulo. — Sorri sem mostrar os dentes.

-Dia. Quero você na minha sala em 5 minutos. — Respondeu ríspido.

-Ok. — Respondi simplesmente e fui pra minha sala,deixei minhas coisas lá e me encaminhei para a sala de Paulo. Assim que cheguei lá,me deparei com Arthur.Sentei e Paulo começou a falar sobre a cirurgia que faríamos em Vicente ( o pequeno paciente ).

-Doutores,ele já está no quarto,podem conhecê-lo,se quiserem.

( … )

-Oi Vicente! — Sorri assim que entrei em seu quarto.

-Oi. — Sorriu desviando seu olhar da televisão.O menino era moreninho,tinha os cabelos e olhos pretos.Tinha um jeitinho meigo,uma graça.

-E ai meninão,como você tá? — Arthur perguntou.

-Bem e você?

-Bem também. — Sorriu. - Ta assistindo o que?

-Jogo do flamengo.

-Ah não,sério? — Arthur sorriu largo.

-Você torce pro flamengo — Riu.

-Lógico! — Começaram a conversar,enquanto eu acompanhava tudo atentamente.Até que…

-Lua. — Ouvi Thur dizer e logo em seguida ser segurada por ele,voltando a consciência.

-To bem. — Murmurei e passei as mãos pelos cabelos.

-Tá bem nada,vamos á enfermaria!

-Não. — Me soltei de seus braços e me sentei na poltrona.

-Você tá bem,Tia? — O menino perguntou.

-Sim querido,não se preocupe. — Sorri e ele assentiu.

-Lua,vamos na enfermaria. — Arthur se agachou em minha frente.

-Não precisa,melhorei já.

-Lua Blanco…

-É sério. — Bufei.

-Tá,assim que a gente sair daqui vamos na enfermaria.

-Mas…

-Nada de “mas”,e ponto. — Falou.

Revirei os olhos e fiquei ali sentada.







△▼